Navigation

Skiplink navigation

"A economia suíça se recupera, mas é preciso fazer reformas"

Um grupo de turistas asiáticos em Lucerna em 31 de dezembro Keystone

O ministro da Economia da Suíça, Johann Schneider-Ammann, disse ter confiança na economia suíça, que segundo ele está se recuperando do chamado "Frankenshock", o choque monetário sofrido quando o banco central suíço abandonou abruptamente a taxa de câmbio fixa do franco com o euro em 15 de janeiro de 2015.

Este conteúdo foi publicado em 08. janeiro 2018 - 10:34
swissinfo.ch com agências

Quase três anos depois, Schneider-Amman disse ao jornal Blick na segunda-feira (8) que os turistas estavam "fluindo" de volta à Suíça. A indústria do turismo sofreu fortemente com a mudança cambial, quando um euro subitamente valia apenas CHF0.85 em vez de CHF1.20.

"Para muitas empresas, os últimos anos foram brutais. Mas quem conseguiu sair do choque mais forte agora pode se beneficiar da recuperação econômica em todos os mercados", disse o ministro, mencionando explicitamente a reforma fiscal das empresas, rejeitada pelos suíços em fevereiro de 2017.

Ao mesmo tempo, no entanto, Schneider-Ammann acredita que a Suíça deveria usar esse impulso para introduzir reformas importantes, menos burocracia e novos acordos de livre comércio. Além disso, a população deve se adaptar à digitalização e às mudanças relacionadas, disse.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo