Navigation

Genebra vai banir carros poluentes

Os automóveis são classificados com base nas suas emissões e no tipo de combustível que utilizam Salvatore Di Nolfi / Keystone

Em um esforço para reduzir a poluição do ar e seus riscos para a saúde, as autoridades de Genebra aprovaram uma medida para proibir a passagem de veículos muito poluentes pelo centro da cidade quando a poluição atmosférica atinge certos níveis.

Este conteúdo foi publicado em 14. novembro 2019 - 15:25
swissinfo.ch

A proibição se aplicará a todos os veículos - suíços e estrangeiros - e será aplicada durante os alertas de smog (picos de poluição), a partir de 15 de janeiro de 2020. Genebra é o primeiro lugar na Suíça a tomar tal medida. A Alemanha e a França já introduziram uma legislação semelhante.

Como funciona a proibição?

End of insertion

Qualquer veículo que pretende passar pelo centro da cidade de Genebra deve exibir um autocolante indicando o seu desempenho ambiental - em outras palavras, o seu potencial para poluir. Os autocolantes estão divididos em seis categorias, desde "cinza", para os modelos menos ecológicos, até "verde", para veículos elétricos e os que funcionam a hidrogênio. O mesmo sistema de classificação é usado na França, onde é conhecido como Crit'AirLink externo.

Quando os níveis de poluição estiverem altos em Genebra, as autoridades emitem um alerta, os automóveis com autocolantes cinzas serão os primeiros a serem proibidos de entrar no centro da cidade entre as 6h e as 22h. Se as condições de smog persistirem, serão aplicadas restrições às outras categorias, de forma progressiva e temporária.

O mapa mostra a parte de Genebra que estará interditada a alguns veículos durante os alertas de smog Canton Geneva


Os alertas serão transmitidos nos meios de comunicação e serão criados sinais de aviso na cidade. Os motoristas que ignorarem os avisos, entrando no centro da cidade nesses dias, podem ser multados em CHF500 ($503). A partir de dezembro, os motoristas podem comprar os adesivos por CHF5 nos postos de gasolina, no departamento de trânsito de Genebra e em outras lojas.

Os veículos da polícia e dos bombeiros, os carros diplomáticos, os táxis e as vans para passageiros com deficiência estão isentos da medida. 

E os carros de fora de Genebra?

End of insertion

A regra também se aplica a veículos de outros cantões e países. Os veículos profissionais têm um período de transição de dois anos para cumprir a legislação e exibir o adesivo apropriado, apresentado pelas autoridades de GenebraLink externo no início de novembro. Outros veículos particulares devem exibir o selo ambiental antes de 15 de janeiro de 2020. As primeiras multas serão dadas a partir de 1º de abril.

Os diferentes "selos ambientais" para os veículos que circularem em Genebra Canton Geneva


Quantos dias do ano a interdição estará em vigor?

End of insertion

Com base no histórico dos boletins meteorológicos locais, as autoridades preveem que o smog deve ocorrer dois a dez dias por ano, geralmente em julho e agosto, quando a poluição atinge o seu pior momento e a proibição entra em vigor. Nos dias particularmente críticos, os transportes públicos serão gratuitos e o limite de velocidade na autoestrada em torno de Genebra será reduzido para 80 km/h. "Adotamos um meio-termo entre a liberdade econômica e o direito de respirar um ar saudável", disse Antonio Hodgers, governador de Genebra.

Em termos de poluição, como é que Genebra se compara a outras cidades?

End of insertion

Na Suíça, há mais de 4.000 mortes prematuras por ano devido à poluição do ar. Genebra tem uma densidade populacional muito maior do que outras cidades suíças. No entanto, o ar em Genebra, bem como no resto da Suíça, é comparativamente mais limpo em relação a outros grandes centros, como mostra este mapaLink externo da Organização Mundial da Saúde sobre a poluição atmosférica mundial. 

Há alguma oposição à proibição?

End of insertion

Genebra é o primeiro cantão suíço a introduzir um sistema de selos ambientais deste tipo, aprovado pelos departamentos federais do meio ambiente e de transportes. Em 2018, a ex-ministra dos Transportes, Doris Leuthard, disse que, por uma questão de conformidade, ter tal sistema seria concebível "apenas a nível federal".

A agência de Genebra do Touring Club Suisse (TCS) diz que vai recorrer contra a medida. "Essas decisões do governo [cantonal] podem muito bem ser anuladas, e estamos aguardando a decisão do Tribunal Constitucional de Genebra com confiança", disse o presidente do TCS de Genebra, François Membrez, ao jornal Tribune de GenèveLink externo.

O especialista em trânsito do instituto de tecnologia ETH Zurich, Matthias Finger, criticou a medida de "solução rápida" na rádio pública suíça SRFLink externo, insistindo que um melhor serviço de transporte público era muito mais importante.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.