Navigation

Estações de trem testam proibição total de fumo

Na estação de Nyon, agora é proibido fumar em todo o perímetro, inclusive no subsolo e nas plataformas Keystone
Este conteúdo foi publicado em 02. fevereiro 2018 - 09:52
SRF

Foram introduzidas proibições de fumar em seis estações ferroviárias na Suíça, como parte de uma fase de teste de 12 meses. A Companhia Ferroviária Federal (SBB-CFF) está considerando aplicar a proibição em todas as estações do país. 

As seis estações que participam do projeto piloto de proibição de fumar são Basileia, Bellinzona, Chur, Neuchâtel, Nyon e Zürich Stadelhofen.

Fumar nos trens foi banido em dezembro de 2005, mas comparadas com as estações em outros países europeus, as da Suíça têm regulamentos de tabaco bastante liberais. Os edifícios das estações tornaram-se livres de fumo, mas os passageiros ainda podem fumar nas plataformas.

A SBB-CFF diz que quer melhorar a segurança e a limpeza nas estações. Queixa-se de que o tabagismo pode ser problemático para passageiros nas estações e que as pontas de cigarro são muitas vezes jogadas nos trilhos ou no chão das plataformas.

Na fase de teste de 12 meses, três opções anti-tabagistas serão testadas: estações totalmente livres de fumo, zonas de fumantes em plataformas e salas fechadas para fumantes. Essas opções estão distribuídas entre as seis estações de teste. Além disso, a empresa também levará em consideração consultas com os passageiros, relatórios de jornais, e comentários dos leitores.

As empresa deve chegar a uma decisão final em meados de 2018, para ser implementada em 2019.

Outros países europeus, como Grã-Bretanha, França, Itália, Áustria, Holanda, Bélgica e Espanha, têm proibições totais de fumar nas estações. Na Alemanha e na Noruega, pode-se fumar apenas em áreas designadas nas plataformas.

​​​​​​​

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.