Navigation

Arqueólogos descobrem restos celtas raros

Arqueólogos do cantão de Lucerna descobriram restos celtas em um canteiro de obras na cidade de Egolzwil, a cerca de 35 quilômetros da cidade de Lucerna. A descoberta de uma peça de joalheria de bronze é considerada particularmente excepcional.

Este conteúdo foi publicado em 18. outubro 2018 - 11:00
Um alfinete de roupa de bronze e um objeto de cerâmica normalmente encontrados no século I a.C. Kanton Luzern

O fato de que os celtas viviam no cantão de Lucerna é conhecido desde que restos de sacrifícios foram encontrados no local de um antigo lago da região há algum tempo. No entanto, esta nova descoberta é o primeiro vestígio de assentamentos que foram encontrados até agora, que os arqueólogos esperam que possam lançar luz sobre a história dos celtas na região.

A escavação descobriu fragmentos de cerâmica, restos de casas queimadas e ossos de animais. Um broche de bronze ou alfinete de roupa, que se acredita ser uma peça de joalharia usada para amarrar roupas como capas e casacos, também foi descoberto.

Com base nas descobertas, os arqueólogos acreditam que o assentamento remonta ao primeiro século a.C.

A escavação foi conduzida como parte de uma construção planejada de três novas casas geminadas próximas à linha férrea em Egolzwil-Baumgarten.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.