Navigation

Alemanha doa ao Peru 100.000 testes moleculares para COVID-19

A chanceler alemã Angela Merkel discursa no Parlamento em 18 de junho de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. junho 2020 - 22:38
(AFP)

A Alemanha doou 100.000 testes moleculares para COVID-19 ao Peru e enviou dois médicos para unir esforços contra a pandemia, que deixou mais de 8.700 mortos no país andino, informou o governo peruano nesta quinta-feira.

"Hoje, especialmente, agradecemos a sua presença, porque essa pandemia nos ensinou que, além de todas as armas que já conhecemos, devemos enfrentá-la com solidariedade", disse a vice-ministra da Saúde, Nancy Zerpa, depois de receber a doação e os médicos alemães.

A missão alemã é a segunda enviada pelo governo de Angela Merkel desde que o vírus foi detectado no Peru na primeira semana de março.

A "COVID-19 representa desafios em todo o mundo, o vírus não conhece fronteiras e por isso a ajuda alemã. A batalha contra esse mal só pode ser bem-sucedida se trabalharmos juntos", disse o embaixador alemão em Lima, Stefan Herzberg.

Os médicos Felix Drexler e Michael Nagel fazem parte da Missão Alemã de Especialistas em Emergência Epidemiológica (SEEG) e ambos estavam anteriormente no Equador e na Colômbia, participando do combate contra a pandemia.

Eles compartilharão com seus colegas peruanos uma nova metodologia de diagnóstico molecular rápido aplicada pela Alemanha, segundo as autoridades.

O Peru tem uma equipe de 250.000 testes moleculares, com planos de ampliar para 450.000 em breve, segundo as autoridades de saúde.

A missão alemã junta-se à ajuda que o Peru recebe de Estados Unidos, Cuba e China para conter os contágios.

O Peru - com 33 milhões de habitantes - é o segundo país da América Latina com mais casos (268.602), atrás do Brasil, e o terceiro em mortes (8.761), depois da gigante do Brasil e do México.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.