Navigation

Anulada ordem de prisão contra vice-presidente argentina

A vice-presidente argentina, Cristina Kirchner, sorri durante apresentação de seu livro na Feira Internacional do Livro de Havana, Cuba, 8 de fevereiro de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. fevereiro 2020 - 23:24
(AFP)

A justiça da Argentina anulou nesta segunda-feira (10) a última ordem de prisão contra a vice-presidente Cristina Kirchner, que ainda é alvo de oito processos, informou uma fonte judicial.

A ex-presidente (2007 a 2015) corria risco de ser detida por conta da investigação "dos cadernos da corrupção", que analisa supostos subornos pela concessão de obras públicas orçadas em mais de 160 milhões de dólares durante o governo de seu falecido marido, Nestor Kirchner (2003-2007), e o seu, e que envolvem ex-ministros e dezenas de empresários.

Embora sua detenção preventiva tenha sido decretada em cinco procedimentos, elas não foram executadas por conta de seus privilégios, primeiro como senadora e agora como vice-presidente.

Kirchner é alvo de outros sete processos, a maioria por suposta corrupção, os quais ela atribui a uma perseguição política.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.