Navigation

Brasil supera 150 mil mortos pela Covid-19

(Setembro) Túmulos abertos para vítimas da Covid-19 no cemitério de Vila Formosa, arredores de São Paulo afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. outubro 2020 - 21:36
(AFP)

O Brasil superou neste sábado a marca de 150 mil mortos pelo novo coronavírus, no momento em que a pandemia tem uma lenta desaceleração no país.

Com 212 milhões de habitantes, o Brasil acumula 150.198 mortos pela Covid-19 e 5.082.637 casos, segundo o Ministério da Saúde. O país é o segundo do mundo em número de óbitos, atrás dos Estados Unidos.

Após o primeiro caso, em 26 de fevereiro, e a primeira morte, em 16 de março, o Brasil viu os números crescerem até superarem um platô de 1.000 mortes diárias por quase dois meses, que começou a ceder em agosto (932) e setembro (752). Nos primeiros nove dias de outubro, a média diária é de 630 falecimentos.

O Brasil registra cerca de 700 mortes por milhão de habitantes, uma das taxas mais altas da região, mas especialistas afirmam que o país experimenta um platô prolongado, com números ainda considerados elevados, diferentemente dos países europeus e asiáticos, que, após alcançarem o auge da pandemia, viram uma queda mais drástica nos contágios e mortes.

Desde o início, o Brasil enfrenta a pandemia com suas autoridades divididas. O presidente Jair Bolsonaro, que teve Covid-19, minimiza a gravidade da doença e incentiva o retorno à normalidade, para evitar um colapso econômico. Hoje, ele passeou de moto pelo Guarujá, litoral de São Paulo, e tirou fotos sem máscara com apoiadores.

Governadores e prefeitos, por outro lado, aplicaram medidas de isolamento social no começo da crise sanitária, mas, há alguns meses, começaram a autorizar atividades consideradas não essenciais, como o turismo e a reabertura de bares e restaurantes.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.