Navigation

CEO da Amazon lança projeto de veículo de pouso lunar 'Blue Moon'

Maquete do Blue Moon, veículo de pouso na lua, em apresentação realizada pelo CEO da Amazon, Jeff Bezos, em Washington, em 9 de maio de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. maio 2019 - 00:20
(AFP)

O homem mais rico do mundo, Jeff Bezos, CEO da Amazon e da companhia espacial Blue Origin, lançou nessa quinta-feira (9) um projeto de veículo de pouso para transporte de material e até humanos ao polo sul da lua até 2024.

"Esse é o Blue Moon", disse em uma apresentação para imprensa em Washington, mostrando uma enorme maquete da cápsula de pouso capaz de transportar 3,6 toneladas de material e até 6,5 toneladas na versão mais pesada.

"É um veículo incrível, e irá até a Lua", disse Bezos.

O modelo foi projetado nos últimos três anos, segundo O CEO. Poderá carregar instrumentos científicos, quatro pequenos rovers, além de um veículo pressurizado para humanos.

O objetivo é pousar no polo sul da Lua, região onde há água, que pode ser explorada para produzir hidrogênio, que serviria como combustível para desbravar o Sistema Solar.

Bezos não estipulou uma data para o primeiro lançamento do veículo, mas disse que estaria pronto para cumprir com o objetivo estipulado pela administração de Donald Trump, que prevê enviar humanos à Lua até 2024.

"Podemos ajudar a cumprir esse prazo, mas somente porque começamos há três anos", declarou o CEO da Amazon. "É hora de voltar à Lua, mas dessa vez para ficar".

A apresentação incluiu um monólogo de Bezos sobre sua paixão pelo espaço, descrevendo colônias espaciais futuristas imaginadas pelo físico Gerard O'Neill, mundos artificiais que poderiam proporcionar à humanidade a fuga de uma Terra con recursos limitados.

"O trabalho da minha geração é construir infraestrutura", disse Bezos. "Construiremos um caminho espacial".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.