Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Nicolás Maduro em comício em Santa Cruz, na Bolívia, em 14 junho de 2014. Presidente afirmou que não é o momento de brincar com a união do movimento revolucionário venezuelano.

(afp_tickers)

Orlando Borrego, um economista cubano que foi um colaborador próximo do guerrilheiro argentino-cubano Ernesto Che Guevara e ocupou cargos de alto escalão no governo da ilha, participa de um enésimo estudo sobre reestrutura do governo venezuelano, anunciou o presidente Nicolás Maduro.

"Borrego está incorporado a uma equipe especial junto ao ministro do Planejamento, Ricardo Menéndez (...) preparando um conjunto de planos, um deles para fazer uma revolução total e profunda da administração pública", declarou Maduro na noite de terça-feira em seu programa semanal de rádio.

Borrego, de 78 anos e formado em economia nas universidades de Havana e Moscou, "foi companheiro de Ernesto Che Guevara nas batalhas da revolução", anunciou Maduro ao apresentar o cubano, que, segundo a imprensa venezuelana, é assessor do presidente desde abril.

Maduro iniciou nesta primeira quinzena de julho uma reestruturação de seu governo para fazer uma revolução dentro da revolução a fim de "mudar tudo para servir ao povo", embora não tenha fornecido maiores detalhes sobre as modificações que podem ocorrer.

Segundo uma ficha biográfica de Borrego divulgada em um dos três livros que escreveu sobre Guevara, formou parte de uma das colunas rebeldes comandadas por Che durante a luta pela revolução cubana e chegou a ser primeiro tenente.

Após a vitória da revolução, atuou como procurador da Junta Econômica Militar e foi vice-ministro de Indústrias e de Açúcar, entre outros cargos dentro do governo cubano. Nos últimos anos se dedicou a escrever e à academia.

AFP