Navigation

Mais de 60 milhões de indianos podem ter contraído a covid-19, diz estudo

Profissional de saúde faz teste de coronavírus em mulher em Nova Délhi afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 29. setembro 2020 - 17:47
(AFP)

Mais de 60 milhões de indianos podem ter se contagiado com o coronavírus, o que significa dez vezes mais que os números oficiais, anunciaram as autoridades médicas encarregadas da pandemia nesta terça-feira (29), citando um estudo nacional baseado em testes sorológicos que medem os anticorpos.

Segundo os dados oficiais, a Índia tem 6,1 milhões de casos entre 1,3 bilhão de habitantes, o que a torna o segundo país mais afetado pela pandemia no mundo, atrás dos Estados Unidos.

Mas o exame de sangue realizado em 29.000 pessoas em 21 estados do país, entre meados de agosto e meados de setembro, mostram que o número de infectados pode ser muito maior.

"A principal conclusão desta investigação sorológica é que um em cada quinze indivíduos com mais de 10 anos foi exposto em agosto" ao vírus, declarou Balram Bhargava, diretor-geral do Conselho Indiano de Pesquisa Médica, durante uma coletiva de imprensa no Ministério de Saúde.

Os resultados apontam que a exposição ao vírus era muito maior entre as pessoas que foram testadas nos bairros pobres das áreas urbanas (15,6%) e de outras áreas urbanas (8,2%), do que nas regiões rurais (4,4). Os testes sorológicos mostram os anticorpos desenvolvidos pelos organismos daqueles que foram expostos ao coronavírus.

Os primeiros resultados da análise sorológica revelaram que 0,73% dos adultos na Índia, ou seja, cerca de 6 milhões de pessoas, estiveram expostos ao vírus antes de maio.

Os pesquisadores advertem sobre a confiabilidade desses testes, pois também mostram os anticorpos desenvolvidos contra outros coronavírus, não só o covid-19.

A Índia suspendeu progressivamente as medidas rigorosas de confinamento que impôs em março para tentar salvar sua economia.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.