Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mario Götze, autor do gol da vitória da Alemanha

(afp_tickers)

Do gol de Neymar na partida de abertura, que ajudou a apagar o gol contra de Marcelo, ao gol de Götze que valeu o título alemão, a Copa do Mundo no Brasil-2014 foi feita de grandes momentos:

. 12 de junho - Neymar faz a torcida esquecer o erro de Marcelo

No dia 12 de junho, em São Paulo, para "sua" partida de abertura na Copa do Mundo diante da Croácia, o Brasil sofreu. O primeiro gol do torneio foi de um jogador da seleção, Marcelo, mas foi contra o próprio gol... Neymar, o craque que carregou as esperanças de todo um país nas costas, empata a partida com um chute cruzado de esquerda. Fogos de artifícios iluminam o céu da capital paulistana. A Copa do Mundo começou. No fim, o Brasil acabou vencendo por 3 a 1, ajudado por um pênalti inventado do árbitro japonês que Neymar não desperdiçou.

. 13 de junho - Robben humilha Casillas

É o fim de uma era. A Holanda se vinga da final perdida no Mundial-2010 e humilha a Espanha (5-1). A imagem da partida acabou sendo Arjen Robben deixando o goleiro Iker Casillas no chão antes de marcar mais um gol. A 'Roja' não conseguiu se recuperar do golpe na estreia e acabou eliminada da competição na primeira fase.

. 15 de junho - A tecnologia entra para a história

O primeiro gol numa Copa do Mundo validado pela tecnologia da linha de gol foi da França, na partida contra Honduras. O goleiro Noel Valladares manda sem querer a bola para o próprio gol, após chute de Karim Benzema. A bola cruzou a linha de gol e a tecnologia não falhou, estreando com louvor em Mundiais.

. 16 de junho - Cristiano Ronaldo nas sombras

A Alemanha humilha Portugal (4-0) e Thomas Muller, com três gols, deixa Cristiano Ronaldo nas sombras. Como a Espanha, os lusitanos não conseguiram se recuperar e CR7, melhor jogador do mundo, deu adeus ao Brasil já na fase de grupos.

. 17 de junho - Ochoa defende cabeçada de Neymar

Guillermo Ochoa, goleiro do México, se torna uma estrela planetária ao fazer uma defesa milagrosa numa linda cabeçada de Neymar. A partida entre Brasil e México termina 0 a 0 graças ao goleiro do 'Tri', dono de outras quatro grandes defesas na partida. "Memo" acaba rapidamente sendo comparado ao inglês Gordon Banks e sua lendária defesa contra Pelé, em 1970.

. 21 de junho – Messi salvador

A Argentina precisou esperar até os acréscimos para derrotar a fraca seleção do Irã. Quem decidiu foi ninguém menos que o craque Lionel Messi, eleito quatro vezes melhor do mundo, que superou o goleiro Alireza Haghighi com um lindo chute de fora da área. Graças ao gol salvador, os 'Hermanos' garantiram a vaga para as oitavas de final com uma rodada de antecedência.

. 24 de junho - "Drácula" Suárez ataca de novo

Foi o momento mais polêmico e inusitado deste Mundial. Na partida entre Uruguai e Itália, o atacante 'charrua' Luis Suárez mordeu o ombro do zagueiro Giorgio Chiellini. O gesto não foi visto pelo árbitro, mas foi flagrado pelas câmeras de televisão. O escândalo foi enorme e ganhou até contornos políticos, com o presidente uruguaio José Mojica tentando defender 'Luisito' até o fim. Não teve jeito, o atacante foi duramente punido pela Fifa. Suárez ficou fora da Copa, com uma suspensão de nove jogos com sua seleção, além da proibição de exercer qualquer atividade ligada ao futebol durante quatro meses. O uruguaio era reincidente. Já tinha mordido o sérvio Branislav Ivanovic durante uma partida entre Liverpool e Chelsea no ano passado e o marroquino Otman Bakkal em 2010, quando atuava pelo Ajax.

. 28 de junho – As lágrimas de Júlio César

Uma das imagens mais marcantes dessa Copa foi ver o goleiro brasileiro Júlio César chorando não depois, mas antes da disputa de pênaltis contra o Chile, nas oitavas de final. O episódio evidenciou a fragilidade emocional dos comandados de Felipão, aspecto que custou muito caro nas semifinais. Contra o Chile, Júlio acabou sorrindo, já que foi o herói da classificação brasileira, com duas defesas salvadoras.

. 4 de julho - Neymar sai de maca

O Brasil avançou às semifinais com vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, mas a festa foi estragada com a lesão de Neymar. O camisa 10 saiu de maca a dois minutos do fim da partida, depois de levar uma joelhada nas costas do colombiano Zuñiga. O diagnóstico foi cruel. O atacante fraturou uma vértebra e ficou fora da Copa.

. 5 de julho – Van Gaal tira um goleiro da cartola

No finalzinho da prorrogação contra a Costa Rica, Louis Van Gaal tomou uma decisão ousada. Tirou o goleiro titular Jasper Cillesen para colocar o contestado Rudi Krul, que teve uma temporada ruim no Newcastle. Mesmo entrando 'frio' para a disputa de pênaltis o substituto fez duas defesas em cobranças costarriquenhas e classificou a 'Laranja Mecânica' para as quartas de final.

. 8 de julho – A humilhação do 'Mineiratzen'

Em 1950, o Brasil ficou traumatizado com o 'Maracanazo'. Ninguém esperava que a seleção fosse sofrer nova humilhação em Mundial disputado em casa, 64 anos depois. Sem poder contar com Neymar, o Brasil simplesmente sofreu a pior derrota da sua história ao ser massacrada por 7 a 1 pela Alemanha. Os comandados de Felipão sofreram um 'apagão' fatal no primeiro tempo, quando levaram quatro gols em apenas seis minutos. Para deixar a derrota ainda mais amarga, o veterano Miroslav Klose se tornou aos 36 anos de idade o maior artilheiro da história das Copas ao marcar o 16º gol em Mundiais, um a mais do que Ronaldo 'Fenômeno'.

. 13 de julho - Götze sai do banco e decide a final com um golaço

Muito criticado pelo desempenho irregular nos últimos meses, o jovem meia Mario Götze, de 22 anos, perdeu a vaga no time titular nas oitavas de final. Sua estrela voltou a brilhar no melhor momento. Entrou aos 43 do segundo tempo e anotou um golaço na prorrogação para dar o tetracampeonato à Alemanha.

AFP