Navigation

Trump diz que só se reuniria com Maduro para discutir sua saída do poder

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Washington afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. junho 2020 - 14:50
(AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira (22) que só se reuniria com o presidente venezuelano Nicolás Maduro para discutir sua saída do poder, depois de suas declarações em uma entrevista na qual se mostrou propenso a um encontro.

"Só me reuniria com Maduro para discutir uma coisa: uma saída pacífica do poder", disse Trump em sua conta do Twitter, acrescentando que sempre se posicionará "contra o socialismo" e a favor da liberdade do povo da Venezuela.

Segundo trechos de uma entrevista ao portal Axios divulgados na noite de domingo, Trump declarou que não se opõe a um encontro com Maduro.

"Sempre digo que se perde muito pouco com as reuniões. Mas até agora, as rejeitei", afirmou.

Essas declarações representam uma virada de 180 graus em sua política de "pressão máxima" à Venezuela e levantaram dúvidas sobre o apoio de Trump ao líder do Parlamento Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino por um grupo de mais de cinquenta países liderado pelos EUA.

Durante a entrevista, Trump mostrou suas reservas em relação a Guaidó e seu desempenho e "indicou que não tem muita confiança" nele.

A menos de cinco meses das eleições presidenciais, o candidato dos democratas, Joe Biden, criticou Trump por sua postura sobre a Venezuela e o acusou de admirar "bandidos e ditadores como Maduro".

"Como presidente, vou estar do lado do povo da Venezuela e da democracia", afirmou Biden em sua conta do Twitter em um comentário da entrevista de Axios.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.