Navigation

Venezuela envia ajuda humanitária para Cuba

O navio venezuelano "Les Moines" chegou ao porto de Havana em 8 de fevereiro de 2019, com 100 toneladas de ajuda humanitária afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 08. fevereiro 2019 - 17:52
(AFP)

Um barco militar venezuelano chegou na manhã desta sexta-feira a Havana para entregar 100 toneladas de ajuda humanitária a Cuba, recentemente atingida por um tornado, enquanto o governo do socialista Nicolás Maduro enfrenta uma grave crise e rejeita o apoio enviado por outras nações para resolvê-la.

"O T-91 'Les Moines' das Forças Armadas Bolivarianas chegou ao porto de Havana com ajuda para as pessoas afetadas por um forte tornado", escreveu a Embaixada da Venezuela em Cuba no Twitter, divulgando uma foto do barco.

Em outro tuíte, a embaixada mostra as bandeiras dos países içadas na proa do barco militar, bem como o vice-ministro de Comécio Exterior de Cuba, Antonio Carricar, que foi receber os suprimentos.

"O vice-ministro (de Cuba) agradece ao povo e ao governo da Venezuela pela ajuda que beneficiará os afetados pelo tornado e também expressa a solidariedade de Cuba com a Venezuela", afirma o tuíte.

Cuba, atingida por um forte tornado que deixou seis mortos e cerca de 200 feridos, é o aliado mais próximo da Venezuela. Seu apoio ao governo de Nicolás Maduro está na mira dos Estados Unidos, que prometeu "libertar a Venezuela de Cuba".

O envio deste barco ocorre em um contexto em que a Venezuela enfrenta uma crise política, econômica e humanitária. Os primeiros caminhões de ajuda humanitária americana destinados ao país chegaram nesta quinta à fronteira entre a Colômbia e a Venezuela, à espera de uma autorização para entrar.

Mas Maduro, que teme uma intervenção militar norte-americana, rejeitou a ajuda.

"A Venezuela não vai permitir o show da ajuda humanitária falsa, porque nós não somos mendigos de ninguém", afirmou o mandatário em coletiva.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.