Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(11 jul) Tropas ucranianas perto da cidade de Slavyansk

(afp_tickers)

A Otan denunciou nesta segunda-feira que a Rússia voltou a mobilizar dezenas de milhares de tropas desde meados de junho na fronteira com a Ucrânia.

"Este não é um passo no bom caminho", indicou um funcionário da Aliança Atlântica, afirmando que a organização obteve evidências de que a Rússia mobilizou entre 10.000 e 12.000 soldados na área.

"Em meados de junho havia menos de 1.000 militares, mas desde então os russos reforçaram suas tropas novamente ao longo da fronteira", indicou este funcionário.

"Convocamos novamente a Rússia a retirar suas tropas da fronteira com a Ucrânia e a deter o fluxo de combatentes, dinheiro e armas em direção à Ucrânia", acrescentou.

Em meados de junho, o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, denunciou que a Rússia havia enviado novamente milhares de soldados à fronteira com a Ucrânia.

A Otan havia calculado que as tropas russas mobilizadas na fronteira com a Ucrânia totalizavam em maio 40.000 soldados. Moscou anunciou em meados de maio a retirada de seus contingentes aos seus quartéis, o que a Otan confirmou no início de junho.

Mas a tensão não diminuiu no leste da Ucrânia e Moscou, segundo a Otan, voltou a reforçar seus contingentes na fronteira.

Nesta segunda-feira a Ucrânia acusou a Rússia de ter derrubado um avião militar ucraniano na região separatista de Lugansk (leste). No domingo, Moscou advertiu Kiev que poderia haver consequências irreversíveis depois que um morteiro disparado da Ucrânia caiu em território russo, matando um civil.

AFP