Suíços favoráveis à reforma da previdência

A grande reforma do sistema previdenciário suíço tem, pelo menos até agora, a maioria dos "sim". Este é o resultado da primeira pesquisa da Sociedade Suíça de Radiodifusão e Televisão (SSR) para as votações do final de setembro. Quanto ao decreto federal sobre segurança alimentar, ele recebe quase total apoio dos eleitores.

Este conteúdo foi publicado em 18. agosto 2017 - 09:30
swissinfo.ch
O projeto de reforma Previdência 2020 é combatido pela direita, mas também por alguns sindicatos e movimentos de esquerda, que reuniram mais de 100.000 assinaturas necessárias para um referendo. Keystone


Se os suíços tivessem votado no início de agosto, o projeto Previdência 2020 provavelmente teria passado nas urnas, mas por uma pequena maioria. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto gfs.bern entre 31 de julho e 10 de agosto, 53% dos entrevistados dizem que pretendem aceitar o projeto de reforma, apoiado pelo governo e a maioria do Parlamento. Os oponentes seriam 42% e os indecisos 5%.

Os resultados são quase idênticos para o projeto de aumento do imposto sobre o consumo (IVA), que se destina a alocar recursos financeiros adicionais para a Previdência (mais conhecida na Suíça pelas siglas AVS/AHV). O financiamento adicional também seria aprovado por 53% dos entrevistados, enquanto os oponentes atingem 41% e 6% de indecisos. Note-se que estes dois assuntos estão inextricavelmente ligados: a recusa de um significaria o bloqueio de toda a reforma.

Conteúdo externo

​​​​​​​

Como esperado, há muito interesse na votação: 55% dos entrevistados disseram que queriam expressar sua opinião em 24 de setembro, uma parcela muito maior do que o habitual.

A margem de diferença ainda é baixa para permitir que os defensores da reforma gritem vitória. Grande parte do voto dependerá da capacidade de ambas as partes de mobilizar seu eleitorado e identificar as questões mais relevantes.

Prognóstico favorável para a segurança alimentar

É um claro "sim" que se esboça para o decreto federal sobre a segurança alimentar. 65% dos entrevistados pretendem aprovar a proposta elaborada pelo parlamento. Apenas 18% dizem que se opõem. A proporção de indecisos, 17%, ainda é importante: isso está relacionado ao fato de que este tópico não deu lugar a muito debate ou controvérsia, nem no Parlamento, nem na mídia. O decreto federal foi aceito por ambas as câmaras por uma maioria muito clara.


A pesquisa

Para a primeira pesquisa de opinião antes da votação federal de 24 de setembro de 2017, o instituto gfs.bern entrevistou um painel representativo de 1205 eleitores.

A margem de erro é +/- 2,9 pontos. A pesquisa é realizada em nome da Sociedade Suíça de Radiodifusão e Televisão SSR SRG, da qual faz parte swissinfo.ch

Por razões relacionadas à proteção de dados, os pesquisadores não têm acesso a informações de contato dos cidadãos suíços residentes no exterior.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo