Navigation

Skiplink navigation

Venha morar em Albinen e ganhe pelo menos 25 mil francos

Há vinte anos que a população dos vilarejos alpinos suíços vem diminuindo. As escolas devem fechar porque não há alunos suficientes. Para lutar contra esse fenômeno, não faltam ideias, como mostra o exemplo da comuna de Albinem, no cantão do Valais.

Este conteúdo foi publicado em 27. novembro 2017 - 13:30
Albinen poderá em breve pagar por seus novos residentes. Outros vilarejos já testaram estratégias similares Keystone

Vilarejo bucólico com vista para o Vale do Ródano (Cantão do Valais), empoleirado a 1300 metros acima do nível do mar, Albinen é o clichê do vilarejo alpino suíço. Muitas de suas casas, no entanto, se tornaram casas secundárias e, como explica o prefeito da cidadezinha, Beat Jost, a escola recentemente teve que fechar suas portas porque não tinha alunos suficientes.

Após a partida de duas famílias, só ficaram cinco crianças em idade escolar, que precisam agora viajar 20 minutos de ônibus para chegar até a escola mais próxima.

Conteúdo externo


Porém, de acordo com Beat Jost, o potencial de Albinen é imenso: a vista é extraordinária, o ar é puro, o sol brilha frequentemente e a famosa estação termal de Leukerbad fica a apenas seis quilômetros de distância. O vilarejo mesmo oferece pouquíssimos empregos, mas a zona industrial de Viège ou a cidade de Sion estão a meia hora de carro. E não faltam lotes para construção.

Mas isso não é suficiente para impedir o êxodo da população. É um círculo vicioso: quanto mais o vilarejo é despovoado, mais as pessoas querem sair.

Alguns cidadãos de Albinen então tiveram uma ideia original: "pagar" por novos residentes. Uma iniciativa assinada por 94 pessoas (quase metade do eleitorado da cidadezinha) foi lançada na Câmara Municipal e será submetida a votação no dia 30 de novembro.

Muitas casas do vilarejo de Albinen tornaram-se residências secundárias Keystone


Se a população aprovar a proposta na quinta-feira, a cidade criará incentivos para aqueles que decidirem se mudar para o município, renovando ou construindo uma nova casa. O vilarejo pagaria, assim, 25.000 francos por adulto e 10.000 por criança. No entanto, existem algumas condições: as pessoas em questão devem ter menos de 45 anos e se comprometer em residir pelo menos dez anos no lugar.

A oferta seria financiada por um fundo especial de 100 mil francos por ano, portanto as vagas não serão ilimitadas.

Outras cidades do Valais, no entanto, competem com a oferta de Albinen. Bourg-Saint-Pierre propõe financiar até 10% da renovação ou construção de uma casa para os novos residentes, até um máximo de 30.000 francos. Não há limite de idade neste caso, mas os candidatos devem garantir que eles viverão no vilarejo por pelo menos 20 anos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo