Navigation

Suíços lançam apelos para aliviar restrições contra Covid-19

Vista do centro de Genebra em 18 de janeiro. Desde meados de janeiro está em vigor um semi-lockdown no qual comércios não essenciais, assim como restaurantes e bares, foram temporariamente fechados. Keystone / Laurent Gillieron

Secretários de saúde e associações empresariais estão pressionando cada vez mais o Conselho Federal para aliviar as restrições contra a pandemia. O governo federal deve se reunir na quarta-feira para decidir sobre os próximos passos.

Este conteúdo foi publicado em 15. fevereiro 2021 - 12:15
swissinfo.ch/fh

Os apelos estão ficando mais altos para que o governo alivie o atual semi-lockdown no qual comércios não essenciais, assim como bares e restaurantes, foram temporariamente fechados. As medidas foram impostas em meados de janeiro para conter a propagação da Covid-19, em meio a cepas de vírus mais contagiosas.

Vários secretários cantonais da saúde estão exigindo a reabertura de lojas em 1º de março, de acordo com o jornal SonntagsZeitung.

"A flexibilização [das medidas] é agora possível", disse o governador do Valais, Christophe Darbellay, ao jornal.

O secretário da saúde de Genebra, Mauro Poggia, e seu colega do cantão de Zug, Martin Pfister, também querem que as lojas sejam reabertas rapidamente, segundo o jornal. Poggia também quer que instalações esportivas, academias e piscinas sejam reabertas em 1º de março. Enquanto isso, a secretária da saúde do cantão de Friburgo, Anne-Claude Demierre, disse ao jornal que é a favor de uma "abertura gradual dos restaurantes".

Plano de saída

O influente grupo de lobby empresarial Economiesuisse e a associação de empregadores da Suíça delinearam sua versão de uma estratégia de saída no jornal NZZ am Sonntag. Eles querem que as primeiras medidas sejam facilitadas no início de março, tais como a reabertura de lojas, seguida pelo fim do limite de cinco pessoas reunidas e o fim da regra do home office obrigatório. Uma maior flexibilidade deve ser introduzida de acordo com o progresso da campanha de vacinação e a vontade individual de tomar a vacina.

Assim que houver vacina suficiente para todos (por volta de junho) - grandes eventos como shows, festas ou eventos esportivos devem ser possíveis novamente - mas somente para pessoas vacinadas, disseram as duas associações.

Na semana passada, o Ministro da Saúde suíço Alain Berset exortou o público a ser paciente e insinuou que o governo pode considerar a flexibilização de algumas das medidas. O governo deve se reunir na quarta-feira para decidir sobre os próximos passos. Depois disso, os cantões serão consultados.

O número de infecções continua a cair lentamente - a média de sete dias é de 1.263, 19% menor em comparação a uma semana atrás. Os números são mais baixos em todo o país, exceto na região do Lago de Genebra, onde os números estagnaram.

Mas as novas variantes do coronavírus, que são cerca de 50% mais contagiosas, representam um risco real de uma terceira onda de infecções na Suíça, advertem as autoridades sanitárias. A variante britânica, conhecida como B117, dobrou a cada dez dias e agora representa cerca de 20% do atual número de casos ativos na Suíça. Os primeiros casos da variante brasileira em Genebra também foram confirmados na quinta-feira, após o primeiro da Suíça em Zurique no início da semana passada.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.