Navigation

Elon Musk e Jeff Bezos trocam farpas por projetos espaciais

Lançamento do foguete Falcon 9 da SpaceX afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. janeiro 2021 - 21:40
(AFP)

Jeff Bezos e Elon Musk, as duas pessoas mais ricas do mundo, trocaram farpas nesta terça-feira (26) em relação aos respectivos projetos de prover internet por meio de satélites.

Os planos de ambos estão em avaliação pelas autoridades.

Bezos, fundador da Amazon e da empresa espacial Blue Origin, que realiza o "Projeto Kuiper", emitiu um comunicado em que afirma que o projeto "Starlight" da empresa de Musk, a SpaceX, busca mudanças que "podem criar um ambiente mais perigoso para colisões no espaço" e gerar maior interferência de rádio.

O Projeto Kuiper, com orçamento de 10 bilhões de dólares, será capaz de fornecer internet a partir do espaço e já recebeu permissão do governo dos Estados Unidos para instalar 3.000 satélites em órbita baixa.

A SpaceX lançou no espaço pequenos satélites para formar um sistema global de banda larga e pede às autoridades permissão para colocá-los em órbitas mais baixas, o que preocupa a Amazon.

“Apesar do que a SpaceX posta no Twitter, são as mudanças propostas pela SpaceX que vão sufocar a competição entre os sistemas de satélite”, acrescentou Bezos, ressaltando suas objeções às autoridades.

"É claro o interesse da SpaceX em sufocar a concorrência em seus primeiros dias, se possível, mas certamente não é do interesse do público", continuou a empresa de Bezos.

Musk, por sua vez, respondeu garantindo que seu projeto "Starlink" progride mais rápido do que o do rival.

“O que não beneficia o público é atrasar o Starlink hoje em favor de um sistema de satélites da Amazon que está, na melhor das hipóteses, há vários anos de ser operacional”, tuitou o bilionário sul-africano.

A SpaceX disse em uma carta à Comissão Federal de Comunicações que as mudanças nas órbitas não irão interferir com as de seus rivais.

A empresa de Musk lançou seu principal foguete, o Falcon 9, com uma carga de 143 satélites no domingo.

A comunidade científica expressou preocupação com o número de objetos que se acumulam no espaço ao redor da Terra.

A SpaceX afirma que seus satélites são projetados para pegar fogo na reentrada na atmosfera após vários anos de serviço.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?