Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

'Acordo com Abbas, não com Hamas', diz o cartaz do manifestante, durante protesto em Tel Aviv, em 16 de agosto de 2014

(afp_tickers)

Milhares de israelenses se manifestaram neste sábado à noite, em Tel Aviv, para pedir ao governo que retome as negociações de paz com a Autoridade Palestina, de Mahmud Abbas, após a ofensiva militar de Israel contra a Faixa de Gaza.

Essa manifestação é a mais importante do "campo da paz" desde o lançamento da operação israelense em 8 de julho, que matou cerca de 2.000 palestinos e 70 israelenses.

No momento, Israel e o movimento islâmico palestino Hamas, que controla Gaza, cumprem uma trégua, à espera do resultado das negociações mediadas pelo Cairo.

Um efetivo policial significativo foi mobilizado para o entorno da praça Yitzhak Rabin, no centro de Tel Aviv, para evitar confrontos com manifestantes de ultradireita.

A manifestação foi organizada pelo Meretz, um partido de oposição de esquerda, pela ONG "Paz agora", hostil à colonização israelense nos territórios ocupados, e pelo partido comunista Hadash.

"A guerra não terminará enquanto não conversarmos", "Judeus e árabes se negam a ser inimigos" e "Sim a uma solução política" eram algumas das frases escritas nos cartazes dos ativistas.

"O governo de Netanyahu apenas enfraquece Mahmud Abbas e reforça o Hamas", condenou Nitzan Horowitz, deputado pelo Meretz.

AFP