Navigation

Quem tem a melhor nacionalidade?

Será possível medir de forma independente o valor da nacionalidade de uma pessoa? Um novo índice tem tentado, classificando os países de acordo com dados econômicos e de desenvolvimento ao lado de valores externos, como a capacidade de viajar e se estabelecer em outros países. A Suíça ficou em oitavo.

Este conteúdo foi publicado em 02. junho 2016 - 12:00
swissinfo.ch
O índice mede as oportunidades e limitações que as nacionalidades impõem aos cidadãos AFP

Mais de 160 países foram avaliados no novo Índice de Qualidade da Nacionalidade de 2015, publicada na quinta-feira (2).

Conteúdo externo

A Alemanha ficou em primeiro lugar, seguida pela Dinamarca, Finlândia, Noruega, Suécia e Islândia (ambas em quinto). Irlanda e Áustria ocupam a sexta posição, seguidas pela França.

No fim da lista estão vários Estados africanos: Sudão (157), Eritreia (158), República Centro-Africana (159) e a República Democrática do Congo (161).

O índice afirma ser o primeiro de seu tipo a juntar indicadores internos e externos. Os valores internos incluem dados sobre a economia (Produto Interno Bruto), de desenvolvimento humano (Índice de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) e a paz e estabilidade (Global Peace Index).

Quanto mais os indivíduos são contidos por fronteiras nacionais, menor o valor; quando as fronteiras são menos perceptíveis, maior o valor.

O índice mede as oportunidades e limitações que as nacionalidades impõem aos cidadãos e representa "a medida na qual os detentores de uma determinada nacionalidade podem realmente desfrutar dos benefícios de um mundo globalizado e uma vida cada vez mais transnacional", dizem os organizadores Henley & Partners - Kochenov em seu relatório.

Qual é a melhor nacionalidade? Dê sua opinião!

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.