Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ilustração divulgada em 11 de julho de 2014 pelo Museu de História Natural de Los Angeles mostra O fóssil de um estranho dinossauro com quatro membros com penas semelhantes a asas, o "Changyuraptor yangi"

(afp_tickers)

O fóssil de um estranho dinossauro com quatro membros com penas semelhantes a asas, escavados na China, pode fornecer provas sobre as origens das aves, informaram cientistas em estudo publicado esta terça-feira na revista Nature Communications.

Escavado em um cemitério de dinossauros na província de Liaoning (nordeste), o fóssil bem preservado pertenceu a um predador de 125 milhões de anos do tamanho de um peru pequeno e magro.

Denominada "Changyuraptor yangi", a criatura tem um conjunto completo de penas cobrindo todo o corpo, de 1,3 metro do bico até a ponta de sua longa cauda.

"Com 30 centímetros de comprimento, as impressionantes penas da cauda do Changyuraptor são, de longe, as mais longas de qualquer dinossauro emplumado", explicou Luis Chiappe, do Museu de História Natural de Los Angeles.

O Microraptor, que seria um adulto provavelmente chegando a pesar 4,5 quilos, é o maior dinossauro do tipo já encontrado, caracterizado por ter quatro asas.

Esses dinos tinham longas penas presas às patas dianteiras e traseiras, embora a destreza com que voavam nos céus seja tema de grande discussão.

A nova descoberta sugere que, no caso do Changyuraptor, uma forma de voar ou planar era bastante possível. A pena da cauda superlonga pode ter existido para lhe dar controle aerodinâmico, garantindo que a criatura fizesse um pouso seguro.

Se for esse o caso, será preciso repensar a teoria segundo a qual as aves evoluíram apenas de terópodes (dinossauros bípedes) pequenos e emplumados.

"O novo fóssil atesta que o voo do dinossauro não se limitou a animais muito pequenos, mas a dinossauros com tamanho mais robusto", escreveu Chiappe em um comunicado à imprensa.

"É claro que necessitamos de muito mais evidências para compreender as nuances do voo do dinossauro, mas o Changyuraptor é um grande salto na direção certa", acrescentou.

Datar a origem das aves tem sido motivo de discussão entre os paleontólogos.

Por décadas, o título de "primeira ave" pertenceu ao Archaeopteryx, um dinossauro de 150 milhões de anos, do qual 11 espécimes foram encontrados em minas de calcário na Alemanha.

Mas alguns anos depois, foram descobertos na China fósseis de 160 milhões de anos do que parecem ser antepassados do Archaeopteryx.

A cauda do Changyuraptor contribui para a discussão ao mostrar os longos caminhos evolutivos que levaram ao aparecimento da primeira ave.

"Muitas características que há muito tempo estiveram associadas com as aves evoluíram nos dinossauros muito antes que as primeiras aves entrassem em cena", disse outro pesquisador, Alan Turner, da Universidade Stony Brook, em Nova York.

"Isto inclui ossos côncavos, comportamento de nidificação, penas... E possivelmente, o voo", acrescentou.

AFP