Navigation

Plataformas de trading lucram com caos pandêmico

Os mercados em baixa (Bear markets) no início deste ano registraram uma recuperação - mas por quanto tempo? Keystone / Bernd Kammerer

Enquanto a Covid-19 vem causando estragos na economia, muitos bancos e plataformas de trading registraram resultados desastrosos. Os lucros foram impulsionados pela alta atividade transacional, mas as perspectivas futuras são contraditórias, dependendo do tipo de agente financeiro.

Este conteúdo foi publicado em 01. setembro 2020 - 08:15
Adaptação: Fernando Hirschy

Os meses de março e abril testemunharam o caos nos mercados financeiros, já que investidores de todas as tonalidades despejaram ativos voláteis para conseguir dinheiro. Embora a situação tenha diminuído desde então, muitos analistas esperam mais turbulência à frente.

A volatilidade cria ganhadores e perdedores entre os corretores, mas para as plataformas de trading e consultores de investimento, pode ser uma situação em que todos ganhem. Esta situação contrasta com a crise financeira de 2008 que foi causada pelos bancos e levou muitos a serem socorridos com fundos estatais.

Ao anunciar seus resultados semestrais, a bolsa de valores suíça falou de "alta volatilidade recorde" durante um período de "turbulência sem precedentes no mercado". A bolsa testemunhou sua maior atividade transacional de todos os tempos durante uma semana de março.

A pandemia teve um impacto negativo nos resultados semestrais para os operadores de câmbio SIX Group, que sofreram uma queda nas taxas de transação com cartão de crédito e caixa eletrônico, pois as lojas fecharam e as pessoas ficaram em casa e evitaram o dinheiro em espécie. Mas isto foi mais do que compensado por um pico de 60% nos lucros das transações.

A plataforma de trading digital Swissquote teve um aumento considerável em seus resultados registrados até agora. As receitas subiram quase 40% até o final de junho e os lucros líquidos aumentaram 128,5%, para mais de CHF50 milhões (US$ 55 milhões). 

A Swissquote espera que as receitas pesem 300 milhões de francos suíços até o final deste ano, quase 70 milhões de francos suíços acima de 2019.

Outro especialista em trading online, o Saxo Bank Switzerland, deverá publicar seus resultados nos próximos dias. No primeiro semestre deste ano, o banco triplicou o número de novos clientes em relação ao mesmo período de 2019. Os volumes de transações em todas as classes de ativos também aumentaram em 70%.

"Além da alta volatilidade do mercado, isto se deveu também ao fato das pessoas estarem trabalhando de casa e terem mais tempo para cuidar de suas finanças, usando as plataformas de trading online", declarou o banco.

Os operadores digitais que atingem um amplo público acreditam claramente que suas perspectivas são brilhantes.

Um novo participante, Flowbank, entrará em cena no outono, após ganhar uma licença bancária suíça em julho. A plataforma financeira digital espera conseguir 5.000 clientes por mês com seu aplicativo financeiro antes de expandir suas operações fora da Suíça.

Muitos bancos tradicionais também relataram um aumento nas receitas, graças ao aconselhamento aos clientes sobre como navegar na pandemia e à execução de operações em seu nome. Mas muitos estão preocupados com suas perspectivas futuras.

O Credit Suisse informou que os lucros da primeira metade de 2020 aumentaram em quase 50% em relação ao mesmo período do ano passado. O aumento da receita das transações de trading foi responsável em boa parte por estes resultados. UBS, Lombard Odier e Julius Bär também viram os lucros inflacionarem durante o mesmo período.

Mas a Covid-19 também trouxe problemas para o setor financeiro. Os ativos de clientes ricos administrados por bancos privados tenderam a perder valor, pois os investimentos perderam valor no tumulto.

A maior nuvem que paira sobre muitos bancos é a quantidade de empréstimos que se tornarão preocupantes à medida que a pandemia e os lockdowns que a acompanham devastam as economias. Os bancos têm sido obrigados a colocar mais dinheiro de lado para pagar um aumento antecipado da inadimplência dos empréstimos.

Prever os efeitos futuros da pandemia tanto na economia geral quanto nos mercados financeiros está se mostrando difícil. "A gama de resultados possíveis permanece muito ampla", diz o UBS.  
O Credit Suisse prevê que a pandemia "continue afetando negativamente nosso desempenho comercial, incluindo um impacto potencialmente significativo nas perdas de crédito".

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.