Perspectivas suíças em 10 idiomas

Embaixador diz que Suíça tem posição clara na Ucrânia

Claude Wild
Embaixador da Suíça na Ucrânia Claude Wild, julho de 2022. © Keystone / Alessandro Della Valle

Claude Wild diz que a posição da Suíça sobre o conflito em curso é claramente em apoio às vítimas, e que a agressão russa é "ilegal e ilegítima".

Falando à rádio pública RTS na quarta-feira, o embaixador na Ucrânia tentou novamente esclarecer a política de Berna, dizendo que quando se trata de uma situação como a atual, a Suíça “não é neutra: aplicamos a lei da neutralidade, isso é diferente”.

Concretamente, disse o embaixador, isto significa que a Suíça “não adere a uma aliança militar, e não envia armas para a zona de conflito, mesmo para apoiar as vítimas”. Mas quando se trata de valores e interesses, a Suíça não é neutra: “estamos claramente atrás da posição ucraniana”.

Illustration Aussenpolitik

Mostrar mais

A Suíça é realmente neutra?

A política suíça se esforça em manter a neutralidade do país diante de uma política mundial cada vez mais unilateralista.

ler mais A Suíça é realmente neutra?

Wild, que estava de volta à Suíça para a entrevista, disse que o conflito havia mudado de rumo nas últimas semanas, notadamente com mísseis russos visando cidades, incluindo Kyiv.

“Houve um período de quase normalidade [antes], com o retorno de muitas pessoas”, disse ele. “Mas já vimos em julho como a Rússia era capaz de lançar ataques de mísseis contra alvos civis”.

Wild disse que esses ataques eram agora “uma realidade e uma tática, uma estratégia”, sendo usados pela Rússia para tentar quebrar a “incrível resiliência e resistência do exército e da população ucraniana”.

Esforços de ajuda

Quanto à ajuda suíça, Wild disse que esta seria ligeiramente reorganizada à medida que o tempo frio se instalasse. Por um lado, há esforços para dar suprimentos de emergência – abrigo, comida, medicamentos, aquecimento – às pessoas em áreas recém liberadas; por outro, disse ele, também deve haver ajuda para voltar a uma certa sensação de normalidade, ajudando escolas, infraestrutura e emprego.

A Suíça entregou cerca de 900 toneladas de equipamentos à Ucrânia desde o início da guerra em 24 de fevereiro.

O país neutro dos Alpes, no entanto, não fornece armas como alguns países ocidentais. Recentemente, sofreu pressão da Alemanha, por exemplo, para permitir a reexportação de munições de tanques fabricados na Suíça para a Ucrânia, mas tem mantido sua posição.

Mostrar mais

Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR