Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Estadista Pascal Couchepin deixa governo suíço

Pascal Couchepin deixa o governo depois de 11 anos

(Keystone)

A presidente da Câmara dos Deputados, Chiara Simoneschi-Cortesi, anunciou nesta sexta-feira que o ministro do Interior, Pascal Couchepin, há 11 anos no governo, renunciará ao cargo em 31 de outubro de 2009.

Ela agradeceu ao ministro, que exerceu duas vezes a presidência rotativa do país, pelo respeito que ele sempre teve em relação ao Parlamento. Couchepin é um verdadeiro estadista, disse Simoneschi-Cortesi.

Em sua carta de demissão, de apenas cinco linhas, o integrante mais idoso do governo não aponta uma causa para a sua renúncia. Ele deseja ao Parlamento um verão enriquecedor como início de um retorno a um política frutífera para o país.

Durante a campanha para as eleições parlamentares de 2007, Couchepin havia prometido ao Partido Radical Democrático (PRD) que renunciaria durante a atual legislatura. Mesmo assim, o anúncio no último dia da sessão parlamentar de verão foi uma surpresa.

Nas últimas semanas, a pressão sobre o ministro havia aumentado em função da explosão das taxas dos seguros de saúde, que são obrigatórios na Suíça. Organizações de médicos pediram abertamente a renúncia de Couchepin.

„Pai da país" desde 1998


O representante do PRD foi eleito sucessor de Jean-Pascal Delamuraz em 11 de março de 1998.

Couchepin, no entanto, só atingiu seu objetivo declarado anos antes após cinco turnos de votação no Parlamento, na disputa contra a deputada Christiane Langenberger, do cantão de Vaud, e dois candidatos "dissidentes" do PRD. Os sete conselheiros federais são eleitos pelo Parlamento.

Pascal Couchepin foi ministro da Economia até 2003, quando assumiu o ministério do Interior, que inclui também a importante Secretaria Federal de Saúde.

Durante sua permanência no governo, ele foi duas vezes presidente da Suíça, mandato com duração de um ano que é exercido em sistema de rotação pelos sete conselheiros federais.

PRD agradece


O Partido Radical Democrático agradeceu Couchepin "pelo seu empenho incansável a serviço do país". Ele sempre defendeu os interesses do bem comum contra interesses particulares e se empenhou pela defesa das instituições e dos valores da Suíça, escreveu o partido em um comunicado.

O partido acrescenta que Couchepin sempre teve a coragem de exigir reformas, mesmo que não fossem populares, e de apontar pontos fracos e problemas da Suíça.

O ministro demissionário disse que dará tempo suficiente ao partido para discutir a sua sucessão, que deverá ser disputada. A União Democrática de Centro, o Partido Democrata Cristão e o Partido Social Democrata também já manifestaram interesse pelo cargo.

swissinfo.ch com agências

Carreira política

Nasceu em 5 de abril de 1942. Formado em direito pela Universidade de Lausanne, ele é advogado de profissão.

Entrou muito cedo no Partido Radical Democrático (PRD, de direita) e foi eleito em 1968 para o Executivo da cidade de Martigny, no cantão do Valais. Ele foi prefeito da cidade de 1994 a 1998.

Na política federal, Pascal Couchepin foi eleito deputado em 1979. Presidiu o grupo parlamentar radical de 1989 a 1996.

Foi eleito pelo Parlamento para o governo federal dia 11 de março de 1998. Foi ministro da Economia e, desde 1° de janeiro de 2003 assumiu o ministério do Interior (que engloba a seguridade social, a saúde, a educação e a cultura).

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×