Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Festival de Música de Lucerna Descomplicando a música erudita

Em qual contexto Beethoven criou a famosa sinfonia n° 1? Por que causou tanto estranhamento na época? O regente brasileiro Leandro de Oliveira explica isso e muito mais, em português, em suas aulas anuais em Lucerna.

Tudo começou na Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) em 2008. Uma hora antes de cada concerto, durante aproximadamente 50 minutos, o regente, compositor e pianista Leandro de Oliveira, carioca de 37 anos, dá uma aula sobre o concerto a seguir. Ele fala sobre o contexto histórico e cultural em que a obra foi criada com dados, demonstrações ao piano e anedotas. O público fica hipnotizado.

O mesmo projeto do regente, o “Falando de Música”, é transferido anualmente para a Suíça durante a edição de verão do famoso Festival de LucernaLink externo. O grupo que acompanha Leandro é formado alguns meses antes, ainda no Brasil. São médicos, engenheiros, advogados e outros profissionais, homens e mulheres de diferentes idades, que têm em comum o gosto pela música clássica e a vontade de saber mais sobre a mesma. O esquenta se inicia com algumas vídeo-aulas do regente disponibilizadas em sua página no Facebook. mas as aulas mesmo acontecem já no cenário suíço. Leandro de Oliveira falou à swissinfo.ch sobre o projeto.

swissinfo.ch - De onde surgiu a ideia de trazer grupos de brasileiros ao Festival de Lucerna?  

Leandro de Oliveira: A demanda pelas viagens musicais surgiu como desdobramento do “Falando de Música”. Muitos alunos passaram a se interessar por aulas em grupos e alguns desses grupos organizaram-se para visitas a salas de concertos e festivais por toda Europa. No início fizemos os festivais de Viena e de Berlim. Mas quando fui a Lucerna me dei conta que ali as condições eram especiais. Costumo dizer que quem gosta mais do samba que do carnaval prefere Lucerna a Salzburgo - evento que conta com praticamente as mesmas atrações mas, por posicionar-se como "exclusivo", acaba por tornar-se também menos amigável e mais esnobe. Meus alunos dizem que Salzburgo vale a pena ir uma vez na vida para conhecer, à Lucerna dá vontade de voltar todo ano.

swissinfo.ch: Como é a preparação do grupo ainda no Brasil?

L.O.: O grupo costuma ser formado por amantes de música não especialistas. São profissionais de diversas áreas que gostam de música. Eles recebem todo o material com a programação musical e temos ao menos um encontro para falar da cidade. A parte mais importante é feita já na Suiça, onde encontramos sempre uma acolhida inesquecível. 

swissinfo.ch: Quanto tempo dura a viagem e como é o dia a dia em Lucerna com o grupo? 

L.O.: Costumamos ficar ao menos oito dias. Temos as tardes livres quando interessados podem fazer passeios com guias locais. As aulas acontecem duas horas antes de cada concerto, e as visitas especiais - seja uma volta ao lago, à casa de Wagner ou ao Rosengarten, são distribuídas em algumas manhãs da agenda. Procuro uma seleção musical que nos permita discutir coisas que estão além da música - associo sempre que posso a música à arte do Rosengarten Museum, ou a casa de Richard Wagner. A natureza e o universo romântico - outro tema muito auspicioso na cidade - por vezes também está subliminarmente participando da nossa curadoria. Geralmente, tentamos encontrar no repertório musical do Festival aquele que facilite a visita e a compreensão da arte da virada entre os séculos 19 e 20, tão bem representadas nesta pequena joia da cidade. A cidade é um assombro para todos. Sempre.

swissinfo.ch: Durante o Festival o grupo tem contato direto com musicistas e maestros?

L.O.: Sempre que posso encontro amigos que estão em orquestras do Festival. Mas o mais divertido do período é o encontro casual que ocorre entre concertos ou mesmo ao final de eventos memoráveis. András Schiff, Peter Sellars, Simon Rattle: onde mais podemos esbarrar com gente assim?

swissinfo.ch: Se algum falante do Português quiser se juntar ao grupo já em Lucerna quem ele deve procurar?

L.O.: Basta entrar em contato com a agência LatitudesLink externo. Toda a parte de bilhetes, materiais de aula e reserva de hotéis é organizada por eles . Pode-se acompanhar a preparação toda para as aulas que acontecem em Lucerna na página do “Falando de Música” no Facebook e depois, ao encontrar o grupo, participar de todas as aulas, concertos e visitas que inserem a cidade no contexto do Festival.

O Festival de música de Lucerna

Um dos maiores festivais de música erudita da Europa, o Lucerne Festival se divide em três temporadas: a de verão, a de Páscoa e a dedicada ao piano como instrumento base, que acontece sempre em novembro.

O maior de todos, o Festival de verão de LucernaLink externo ocorre anualmente entre agosto e setembro na cidade de Lucerna, tradicionalmente palco de grandes orquestras e regentes. Durante quatro semanas, um público de mais de 100 mil pessoas visita o Festival e frequenta uma centena de eventos paralelos e dezenas de concertos. A cidade recebe os mais famosos maestros, músicos renomados e solistas. Além da clássica, O Festival apresenta concertos de música erudita contemporânea, e também apóia projetos de novos compositores.

Aqui termina o infobox

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×

Destaque