Rastreamento de dados detecta futuras pandemias através de smartphones

A Suíça está contribuindo para uma plataforma digital europeia que promete combater a propagação de pandemias, identificando melhor as pessoas em risco de infecção viral.

Os aplicativos de rastreamento de smartphones podem ser conectados ao sistema digital PEPP-PT Keystone / Patrick Seeger

Segundo os cientistas por trás da plataforma, o sistema alerta qualquer pessoa que tenha estado em contato com uma pessoa infectada sem comprometer a privacidade dos dados dos indivíduos.

Saber quem testou positivo para um vírus não é suficiente para conter a sua propagação. O sistema Pan-Europeu de Rastreamento de Proximidade de Preservação Privada (PEPP-PT, na sigla em inglês) identifica quem corre maior risco de ter contraído o vírus sem ainda saber que eles também são contagiosos.

Com uma variedade de aplicações para smartphones, espalhadas por vários países, a plataforma pode identificar as pessoas em risco de infecção e conectá-las aos seus serviços de saúde locais. Ela está sendo oferecida como antídoto para bloqueios nacionais impostos por governos que não têm outros meios de controlar a disseminação do coronavírus.

"Todos sabemos que, como sociedade e como economia, não podemos continuar assim por longos períodos de tempo", disse Marcel Salthé, epidemiologista da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), em uma entrevista coletiva na quarta-feira (01). "Em vez de colocar em quarentena populações inteiras, poderíamos nos concentrar nas pouquíssimas pessoas que precisam".

O Coronavírus tem sido muito mais difícil de conter do que o vírus da SARS porque desta vez as pessoas são contagiosas antes de apresentarem os sintomas, explicou Salthé. Isto intensifica a necessidade de identificar qualquer pessoa que tenha estado em contato com as vítimas do coronavírus antes mesmo de saberem que estavam infectadas.

Sistema Voluntário

O sistema PEPP-PT está programado para entrar em funcionamento já na próxima semana. Cientistas de oito países, incluindo a Suíça, têm trabalhado no sistema que será incorporado na Suíça como uma entidade sem fins lucrativos. O sistema quadruplica o círculo de rastreamento dos movimentos das pessoas, com proteção da privacidade.

Os indivíduos podem baixar voluntariamente aplicativos que codificam suas identidades enquanto rastreiam seus movimentos. Se eles se aproximarem de uma pessoa que mais tarde tenha tido um resultado positivo em relação a um vírus contagioso, o sistema enviará um alerta e os conectará com as autoridades da saúde.

Ao contrário de outros sistemas de rastreamento digital que têm sido usados para conter o coronavírus no mundo, os inventores do PEPP-PT dizem que sua versão não irá simplesmente puxar dados de provedores de telecomunicações e entregá-los aos governos. O PEPP-PT irá também cumprir o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados da União Europeia.

"A ideia é disponibilizar a tecnologia ao maior número possível de países, responsáveis por doenças contagiosas e desenvolvedores o mais rápido e fácil possível", diz uma declaração. "Os mecanismos e normas técnicas... protegem totalmente a privacidade e potenciam as possibilidades e características da tecnologia digital para maximizar a velocidade e a capacidade em tempo real de qualquer resposta pandêmica nacional".


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo