Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

COI vê candidatas à Olimpíada 2016 empatadas

Da esquerda para a direita, o prefeito Eduardo Paes, o presidente do COB, Carlos Nuzman, e o governador Sérgio Cabral, na entrada do Museu Olímpico, depois da apresentação da candidatura Rio 2016.

(Keystone)

As quatro cidades finalistas para sediar a Olimpíada de 2016 - Rio de Janeiro, Madri, Chicago e Tóquio - apresentaram suas candidaturas e foram sabatinadas pela Comissão Executiva do Comitê Olímpico Internacional (COI), em Lausanne.

As delegações saíram otimistas da apresentação. As diferenças no grau de entusiasmo são antes de tudo culturais. Mais detalhes dos projetos são discutidos hoje com o COI, que anunciará a escolha em 2 de outubro.

As quatro delegações das cidades finalistas a sediar as Olimpíadas de verão de 2016 saíram otimistas da sabatina realizada nesta quarta-feira (17/6) no Museu Olímpico, em Lausanne. O procedimento desta vez foi novo, para tentar evitar as denúncias de corrupção feitas na atribuição dos Jogos Olímpicos nas edições anteriores.

Desta vez, uma pequena comissão de avaliação visitou as cidades candidatas e fará um relatório à Comissão Executiva (CE), o colégio eleitoral do Comitê Olímpico Internacional, até o início de setembro. A escolha da cidade-sede da Olimpíada 2016 será anunciada em 2 de outubro próximo na Dinamarca.

Na segunda fase, cuja sessão mais importante ocorreu ontem, as quatro cidades tiveram 45 minutos para apresentar suas candidaturas diante da Comissão Executiva e 45 para responder às perguntas do CE. As apresentações foram a portas fechadas e estavam presentes 93 dos 107 membros do Comitê Executivo.

Empate, segundo o presidente do COI

As quatro delegações - Chicago, Tóquio, Rio de Janeiro e Madri, por ordem de apresentação - saíram satisfeitas com a prova. Os qualificativos variam conforme as diferentes culturas: "eficaz" para os norte-americanos, "perfeita" para os japoneses, "emocionante" para os brasileiros e "estupenda" para os espanhóis. Todos estão convencidos de que serão eleitos para sediar os Jogos.

Ao final das apresentações das quatro cidades candidatas, o presidente do COI, Jacques Rogge, disse muito diplomaticamente à imprensa que as cidades "saíram empatadas da sabatina".

A delegação do Rio incluiu o governador Sérgio Cabral, o prefeito Eduardo Paes, o ministro do Esporte, Orlando Silva, e o presidente do Banco Central, Henrique Meireles. Meirelles garantiu que a economia brasileira é sólida e que a organização das Olimpíadas não vai acarretar dívidas para o Brasil.

A apresentação da candidatura do Rio incluiu uma mensagem em vídeo do presidente Lula, que causou "um impacto importante", segundo o presidente do COB, Carlos Nuzman, e foi "excepcional", de acordo do governador Sérgio Cabral.

A apresentação do Japão incluiu um vídeo do primmeiro-ministro Taro Aso, que competiu nas Olimpíadas de 1976 em Montreal, Canadá. Madri apresentou um vídeo com o primeiro-ministro José Luiz Zapatero.

Oposição em Chicago

O presidente Barack Obama não enviou mensagem de apoio a Chicago, onde viveu e trabalhou, porque a legislação norte-americana não permite isso, mas anunciou ontem a criação de um Gabinete dos Jogos Olímpicos, Paraolímpicos e Esportes da Juventude, diretamente ligado à Casa Branca.

Por outro lado, uma oposição aos Jogos em Chicago foi apresentada em Lausanne. Intitulada No Games 2016 Chicago, dezenas de exemplares de uma brochura foram entregues ao COI, em Lasanne, com recortes de jornais criticando a organizaçâo dos Jogos.

É difícil avaliar a importância da campanha, a única oposição que se manifestou em Lausanne, que afirma que a prioridade, ainda mais em época de crise, é educação, saúde, emprego e não mais dívidas para organizar jogos.

Sabatina do Rio

A delegação carioca respondeu a 11 ou 12 perguntas sobre meio ambiente, instalações, finanças e o fato de o Brasil já sediar a Copa do Mundo em 2014, segundo a assessoria de imprensa da Rio 2016. A questão da segurança não foi abordada, mas o governador Sérgio Cabral explicou que o Rio tem organizado grandes eventos internacionais sem nunca ter tido problemas de segurança.

As garantias financeiras eram parte do vídeo do presidente Lula, da presença do presidente do Banco Central, Henrique Meireles, do governador e do prefeito do Rio.

Ao final da apresentação, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e membro do COI, Carlos Nuzman, disse à swissinfo.ch que as vantagens do Rio são o fato de a América do Sul nunca ter organizado os Jogos Olímpicos, e que a infraestrutura estará praticamente pronta por causa dos Jogos Panamericanos de 2003 e da Copa do Mundo de 2014.

Novos esportes

O governador Sérgio Cabral disse que ficou emocionado quando a apresentação do Rio foi aplaudida duas vezes e o prefeito Eduardo Paes explicou que teve de vontade de cantar, mas não pode porque teve que traduzir algumas frases em inglês.

No início de outubro, o COI vai decidir sobre a inclusão de mais dois esportes nas Olimpíadas de 2016, entre sete candidaturas (golfe, caratê, baisebol, softbol, rúgbi, patinação de velocidade e squash). Um membro do Comitê Executivo perguntou às quatro delegações quais são os dois novos favoritos. Nuzmann respondeu, politicamente, que o Rio pegaria os sete, sem problema.

Hoje as quatro delegações têm a oportunidade de fornecer novas explicações aos membros do Comitê Executivo do COI, que tomarão a decisão em 2 de outubro em Copenhague, Dinamarca.

Claudinê Gonçalves, swissinfo.ch

Orçamentos

O Comitê Rio 2016 diz já ter um fundo disponível de 700 milhões de dólares, que pode ser usado imediatamente, se a cidade for escolhida.

A prefeitura de Chicago diz que vai liberar US$ 500 milhões, o estado de Ilinois promete mais US$ 250 milhões e que é possível captar mais US$ 2 bilhões do setor privado.

Tóquio garante que já tem US$ 4 bilhões assegurados.

Madri calcula que os jogos custarão US$ 630 milhões, garantidos pelos três níveis de governo.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×